domingo, 31 de agosto de 2008

Exames Médicos...

Comecei o dia às 7h da manhã, algo óptimo para quem gosta de trabalhar de noite, para apanhar um comboio que se atrasou 10 minutos, e sim teriam sido mais 10 minutos dormidos.
Depois de 50 minutos de comboio, sempre com a grande preocupação de não adormecer e só acordar na estação terminal, lá cheguei à terra do West Lake.

O que parecia ser uma coisa simples, entrar no táxi, mostrar a morada em caractéres ( para evitar confusões) acabou por não o ser. Para não variar muito, o tipo não fazia a mínima ideia onde era aquilo, nem sequer para que lado da cidade ficava. Depois de uns quantos telefonemas, lá demos com aquilo, aparentemente sem grandes voltas, porque o táxi de regresso foi o mesmo preço.

Acho que pela primeira vez na vida encontrei alguém, independente do país e do continente, simpático num departamento público. Mas foram só as primeiras três, com as seguintes rapidamente passei para o modo “ funcionário público mal-encarado, mal disposto, e com a sensação que nos está a fazer um favor....” Igual em todo o lado. Depois de preencher um formulário e de um questionário, onde perguntavam por doenças em que nunca tinha ouvido falar, paguei e fui começar os exames.

Esta brincadeira ficou em 60€, e claro meus caros do AICEP, não há almoços grátis!!!!


Os exames foram quase todos muito simples e bem mais completos que os que tinha feito em Portugal, incluíndo ECG, ecografias e radiografias, mas começaram mal.

Primeiro análise de sangue, a mim que gosto tanto destas coisas com agulhas.... Cheguei a um guichet , guichet que é guichet tem fila, e ao fim de algum tempo de grande sofrimento psicológico lá chegou a minha vez de me sentar num banquinho, esticar o braço e levar a pica. Enquanto esperava fui falando com um australiano, um bretão ( não me lembro de onde) e uma hungara, professores entre os 40-60 anos, mas simpáticos e ajudaram a passar o tempo.

Segundo guichet, segundo problema... Análise de urina. Esta gente das análise tem de compreender que nós não somos programaveis para estas coisas, é necessário haver algo a que se chama vontade, e que em casos como o meu, é independente do numero de líquidos ingeridos e do numeros de horas que passou antes da ultima vez.

Fui bebendo água, fazendo os restantes exames, bebendo mais água e nada... Saí, fui almoçar, fui para um Starbucks, onde há wireless, e chá, fui bebendo, trabalhando via skype, bebendo, e às 14horas lá voltei para dar a minha contribuição. Um hora e meia depois tinha os resultados todos.

Além de ter crescido um centímetro na china, afinal só perdi 5 quilos e não 8 como a balança me tinha dito 2 dias antes.

Como não sabia a que horas estava pronto e a ideia era regressar a Shaoxing o mais rapidamente possível, não tinha comprado bilhete de comboio. Claro, até às 11h da noite estava tudo esgotado, nem em 2ª classe ( algo que deve ser tenebroso.... Restavam duas hipóteses, ou táxi ( que iria custar um rim) ou autocarro. Como a minha experiência a vir de Shanghai não tinha sido má, arrisquei o autocarro.

Perguntei a um policia onde era a estação, a certa altura o meu chineses deixou de compreender o dele, e o rapaz acabou por me ir levar a um autocarro ( leia-se carreira) e explicou ao motorista para onde eu ia. Tentei pagar mas disse-me que não e mandou-me sentar. Normalmente não me sento em transportes públicos, porque 2 minutos depois estou a levantar-me para dar o lugar a alguém, mas desta vez a viagem deveria ser 50 minutos, por isso achei melhor escolher uma cadeira simpática. 10 minutos depois, o tipo parou o autocarro e mandou-me sair. Só depois percebi que devia trocar para o autocarro que estava parado à nossa frente. Claro que o motorista do novo autocarro não fazia a minima ideia do que eu estava a falar, e depois de uma reunião com os outros 10 passageiros lá me disse para me sentar. Uma vez mais tentei pagar mas não aceitaram. Apesar da viagem ser à borla eu não estava a achar piada nenhuma, porque não fazia ideia onde estava e o que queria mesmo era regressar o quanto antes a Shaoxing.

Pronto, esta seria a tal viagem de 50 minutos, mas não. 2 ou 3 minutos depois, uns 600 metros depois de ter arrancado manda-me sair e diz qualquer coisa que não percebi. Felizmente que o 2 nativos, falantes do dialecto local, nem mandarim falavam, fooram comigo e levaram-me para a estação de autocarros de longo curso. A partir daqui não havia problema, aproveitei para comprar um saco de castanhas assadas, mas uma desilusão. Só sabiam a água e nem sal tinham visto....

Agora tenho de esperar que a menina do “centro de emprego” de Shaoxing trate do meu processo, passe ao “middle boss” e depois que o “middle boss” passe ao “middle boss boss”, para que depois mude de departamento e continue assim.

Visa....

Alguns já estão familiarizados com o meu problema, a impossibilidade de sair da "China Mainland", porque apesar de ter um visto de permanência de 6 meses, não tenho mais entradas. Ou seja, posso cá ficar 6 meses, quietinho, paradinho, mas nem a Macau posso ir.

Não é que o país seja propriamente pequeno, mas torna-se claustrofóbico, especialmente quando precisamos de ir a Portugal e claro, não podemos sair porque não temos visto.

Para resolver problemas futuros, como a obtenção de visto novamente, estou a tentar o "Z visa", aquele que o AICEP deveria ter providenciado, e não um visto de turista. Menos mal, pelo menos é de 6 meses, mas continuamos a ser turistas.

Claro que isto num país pouco burocrático como a china é um processo simples, célere e eficiente, passei as últimas duas semanas a tratar das coisas para a autorização de trabalho na china. O visto será depois, primeiro é preciso autorização de trabalho.

Entre as várias coisas necessárias contam-se: declarações, contractos, carimbos, assinaturas, certificados de habilitações originais, análises clínicas etc..

Ora como tinha feito análises antes de vir, perguntei se eram válidas, e como me disseram que sim, vieram em DHL juntamente com os meus certificados de habilitações. Quando chegaram afinal não eram válidas, estes tipos são fantásticos!!!

Depois de elaborar um ficheiro com uns 20 requisitos, faltavam apenas as análises médicas, pelo que tive de ir a Hang Zhou, a um qualquer centro médico para estrangeiros.

De volta à prosa....

Alguns têm me acusado de desleixo e falta de consideração por não ter escrito nos últimos tempos :)

Na verdade tem-me faltado a “inspiração” e a vontade. Primeiro este calor tira a vontade de fazer o que quer que seja, às vezes até de telefonar, quanto mais escrever. Além do calor a quantidade de pequenas chaticezinhas, e chatices maiores que têm havido também não ajudam.

Na empresa vão havendo sempre coisinhas pequeninas, como em todas as empresas todos os dias há novas, que embora na sua maioria não sejam preocupantes vão desgastando. Água mole em pedra dura... Depois tenho o problema do visto, que nunca mais vejo resolvido, já nem falo resolvido da melhor forma, apenas resolvido!!!!

Felizmente os amigos vão ajudando, e tenho de lhes agradecer por isso. Não só os de Portugal, com quem falo todos os dias ( especialmente o trio do musicais) mas também os que estão na China. Em Shaoxing, o grupo mantém-se coeso, vão saindo uns entrando outros, alguns de forma definitiva como a colombiana e o francês, mas chegam outros. Mas o essencial está lá, Portugal, Espanha, Caraíbas ( ascendência espanhola) e Turquia. De vez em quando chegam-se uns do Brasil e da Rússia, mas o essencial é ibérico....

Obviamente que os de Shang hai têm tido um papel predominante, mais que não seja pela quantidade de vezes que me aturam. Um obrigado especial à Elsa e ao Alves, que por norma são os mais sacrificados :)

Espero retomar a escrita com regularidade, mas mais que isso espero que as coisas se resolvam.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Mais musicais....

Já que vou acordar todos os dias com o despetador musicais, aqui ficam os discos pedidos :)







Não tem o glamour da Figueira, mas é o que se arranja na China....



Só falta o .... que faz anos e tá na casa de banho

domingo, 24 de agosto de 2008

Música para os meus olhos...

Por muito grande que seja o Ipod, e 60 Gbs é um bocadinho, não seria possível trazer todas as musicas desejadas.
Até porque, há uns quantos cds prometidos, e já lá vão uns 5 anos.... Não é Fred Astaire?

Mas pronto, o youtube consegue colmatar estas coisas:








Claro que melhor que o youtube, só as ligações directas aos Musicais. Pena não haver videochamadas, treta de país!!!!

À dupla mais animada dos Musicais deixo um clássico...



... e já tirei o modelo, a minha próxima incursão ao mercado das telas vai ser para fazer o modelito Dino Meira!!!!

( Algum d') O fado que se ouve na China..

Deolinda....

Não há muito a dizer, a música fala por si!!!







Mariza





Por incrivel que pareça, esta foi a única versão que encontrei com alguém a cantar pior que eu.... E no entanto é a versão original :)

sábado, 16 de agosto de 2008

Há dias assim.... :)

Este vídeo é em tudo semelhante aos efeitos que um telefonema nos provoca na china. 
Eles de facto são um povo que fala pouco e baixinho, o que leva qualquer ocidental a adorar um open space


video

E claro, após longas conversas no yahoo translater....



video

Olímpicos

beijing2008.jpg

Pois, começaram os olímpicos e os chinos estão imparavéis e incaláveis também....

Começou com a cerimónia de abertura, em que o país parou, literalmente. E como não foi suficiente, ainda tiveram mais umas 4 horas seguidas com reportagens sobre o fogueiro da tocha. Sim, aquele que andou a correr à volta do estádio. 
Após 3 horas de abertura e mais quatro sobre os treinos do fogueiro, o que equivale a pelo menos a 5 packs de tsingtao por chino ainda tive esperanças de tentar ver algum a correr à volta das paredes do bar. 

Mas uma vez mais este país desiludiu-me... 


Se os Jogos já eram um desígnio nacional, com os resultados que têm obtido, não se calam e todos os locais onde vamos, desde o quiosque, ao restaurante, até nos taxis ( em Shanghai) há televisores a passar olímpicos. Estranhamente só passam olímpicos onde estejam chinos.

A única semelhança que encontro com isto foi o Euro 2004, onde o nível de histeria foi igualmente deplorável. Mas a essência é a mesma, gritam, berram, bebem cerveja e só não comem tremoços porque não têm categoria para isso. Comem sementes de girassol, essa bela comida de papagaio, e claro deixam tudo imundo. Mas o que mais admiro neste povo é a sua capacidade de vibrar com desportos como o badminton ou ciclismo.

A nossa prestação não está a correr muito bem, pouco a pouco estão todos a ser eliminados, praticamente resta-nos a vela. Aí estou confiante, ou não fossem do Clube Naval...

( Não confundir com aquela associaçãozeca de vão de escada)

Espero que as melhorias que introduziram, como informações em inglês nas estradas e nos comboios se mantenham depois dos olímpicos, afinal teremos de ter alguma compensação pelas pseudo-medidas de segurança nos transportes e pelos problemas com os vistos.






segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Telemovel e HR

Inovio que é inovio, e que vem para a China perde o telemóvel... Pelo menos foi o que me disseram!!! 

Pois bem, os calções com bolsos largos, que alguém um dia disse que eram fashion e práticos têm destas coisas. Quando nos sentamos, especialmente em carros ou sofás perdemos sempre algo, sejam moedas, caixas de pastilhas, telemóveis... Só não perdemos isqueiros porque são confiscados no aeroporto, para nosso bem, não fossemos nós perder o isqueiro.

Na 5ª à noite quando regressava a casa, de taxi, devo ter semeado por certo o telemóvel no banco do taxi, taxi esse que nunca mais voltei a encontrar, compreensivelmente.

No dia seguinte tive de ir comprar um novo telefone, igual ao anterior e que ainda me custou 28€. Consegui manter o mesmo numero, e ficar com o dinheiro todo que tinha no cartão. Mas para esta proeza perdi duas horas. 

Este foi um dos imprevistos que tive na 6ª feira, pelo que tentei adiar por umas horas a entrevista para preencher o cargo de Director de Produção. 
Claro, quando uma coisa não corre bem não corre nenhuma, e não consegui falar com o rapaz.

Depois de almoço, quando me encontrei com o GM no banco, reparei que vinha um tipo, atrelado a ele, que eu nunca tinha visto. Era o tal candidato a DP, que à boa maneira chinesa apareceu 2 horas antes da entrevista.

Ora como 6ª feira era a abertura dos jogos olímpicos, e andava tudo cheio de pressa para acabar o dia ( mais cedo) resolvi que o melhor era ir entrevistando o rapaz ali mesmo.
Então comecei no banco, continuei no caminho até à loja da china mobile ( e ainda é um bocado), prossegui no interior da loja enquanto ia explicando o que queria, continuamos nas lojas à volta que vendem telemoveis e acabamos novamente na china mobile, onde comprei o telefone.

O tipo, chino, gordinho, com um bocadinho cara de tono suava por tudo o que poro, não sei era das perguntas, do calor ou das caminhas, ou se era de "ambos os três". Mas o que é facto é que as respostas iam batendo certo, e apesar de ser certamente a entrevista mais surreal que fiz, poderá trazer bons resultados.

Mais um semana...

Passamos o dia a fazer 300 coisas diferentes, que já fizemos, explicámos ou tentámos fazer vezes sem conta, andamos de um lado para o outro, e no fim, quando vamos ver algo de palpável, nada!!!  Parece um punhado de areia, quanto mais força fazemos, mais rapidamente se esvai da mão. 

O Governo agora inventou uma treta qualquer, sobre as exportações, que primeiro que consigamos receber o dinheiro dos nossos clientes ( estrangeiros) é um pandemónio. A bem da verdade ainda não percebi muito bem qual é o stress, porque o meu péssimo chinês em muitos casos é superior ao bom inglês deles, ou seja, os poucos que percebem o que se passa depois não me conseguem transmitir. E os que ainda podiam tentar explicar, porque conseguem articular umas coisas de inglês, não percebem patavina do que se passa. 
Basicamente tenho perdido 2 horas por dia, nas últimas 2 semanas, em bancos e afins, e todos os dias tenho a promessa, "amanhã terá o dinheiro disponível".

Será que conseguem imaginar o dinheiro que o governo chinês está a ganhar com isto? Imaginem o valor das exportações chinesas, e agora imaginem esse dinheiro a render juros durante 2 ou 3 semanas para o Estado, só porque se lembraram que era assim. Não têm custos, não tem qualquer razão de ser, é só mesmo sacar. 

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Segunda-feira em Shanghai

A manhã começou bem, a assistente telefonou-me a dizer que a casa que ELA ESCOLHEU, tem um cheiro qualquer muito activo ( não percebi qual, nem mesmo quando andei a ver a casa) e que por isso tinha de ir para a terrinha fazer exames respiratórios. Estive quase a sugerir-lhe um TAC, que o problema era mais acima...

Depois de uma ida apressada ao mercado das telas, mandar fazer uma camisa-cobaia, fui ter aquela que considero a melhor refeição desde que cheguei à China.
Já tive refeições muito boas, como por exemplo o Japonês ou o Latina, mas a qualidade da carne de hoje, o sabor, e a confecção fizeram-me sentir em casa. Digam o que disserem mas de hoje em diante haverá duas obrigatoriedades quando vier a Shanghai, uma ir a bar do Hyatt????, outra ir ao Four Seasons fazer uma refeição.

Enquanto aguardava pela reunião seguinte, fui trabalhar para um Starbuck’s, esperando encontrar Wifi net, mas tive pouca sorte, como todo o fim-de-semana.

Depois da reunião, que penso ter corrido muito bem, embora eu quisesse um preço mais baixo, estava na hora de regressar à terrinha. 
Com a minha sorte chinesa, perdi o comboio por 10 minutos, a reunião podia muito bem ter demorado 2h30 em vez de 2h45. Ou seja, estou neste momento ( offline) a escrever estes post para tentar matar as 4h de espera que tenho pela frente. E claro, uma vez mais não tenho internet. 
Até às 3h da manhã, terei muito que escrever, a sorte é que grande parte é trabalho, o que não vos calha a vocês o massacre.
Para animar, e como estou na sala de espera VIP, só tenho uns 20 chinos aos berros alguns dos quais interrompem momentaneamente as animadas conversas, para escarrarem para o chão. 

É por isto que gosto tanto da China, há sempre distracção e de monotonia não morremos por certo. 

Mais um Fim-de-semana em Shanghai

Este fim-de-semana foi passado em Shanghai, a pouca sorte do alojamento desta vez calhou à Elsa... :)
Na 6ª feira, tive uma festa de anos, onde conheci mais uns quantos contactos, inclusivamente a aniversariante. 
Conheci também o corpo consolar de Portugal em Shanghai e o Eng. Couto Miranda, Manel para os amigos, do AICEP Shanghai.
Apesar de estar “abandonado” pelo AICEP de Lisboa, felizmente tenho tido apoio e preocupação da delegação de Shanghai. Obrigado!!!!!

A noite de sexta-feira foi passada no Lounge 18 e no Bar Rouge ( onde encontrei a “minha senhoria”...) e a noite de sábado por coincidência também acabou lá. Pura coincidência!!! :) Meus caros, vale a pena vir à China só para vir a estes bares. Já sabem, são dois nomes a decorar. O JEEP bate qualquer um deles, mas nem todos podem ter o privilégio de ir a Shaoxing....

O dia de sábado, começou tarde, tal como acabou a noite anterior. A tarde foi passada em “turismo”, numa esplanada a desfrutar a vista sobre o bund e depois seguimos para Xintiandi, um bairro que foi todo recuperado e pertence ao Jackie Chang. Estes são mais locais a ter em consideração quando vierem cá, mais que não seja por tem o Latina ( esse belo restaurante brasileiro) e o Sugar, um bar de interesse indiscutível.....

Mas nada disto suplanta a vista do bar do hotel Hyatt... Conseguimos ver a vista de bun e de Pudong, lado a lado, algo que indescritível, até porque não levei máquina fotográfica. Espero pela fotos menina Ângela C10 Macau... O resto do povo também vai querer ver :)

Domingo fomos para o Meridien She Shan, um hotel com piscina caldo e um lago com areia a 30 minutos de Shanghai. O mais próximo que se arranja de praia, não que seja fã. 
Depois do fiasco da piscina no fim-de-semana anterior, em que esvaziaram metade da piscina para que os chinos ( povo pouco dado às artes aquáticas, onde se incluí banho...) ocupassem a piscina toda, e não apenas a parte das crianças, tive de ir até Shanghai para vir à piscina.

Mas isto não é apenas uma piscina, é um sonho... Por 30€, temos direito a água caldo, gente gira ( embora também estivessem chinos e franceses, o cancro dos respectivos continentes), um brunch gostoso, equipas olímpicas em estágio, sauna, ginásio... Posso garantir que tal como o bar do Hyatt, isto será um sítio a repetir em breve. 
Só espero que para a próxima não sejamos novamente corridos, a meio da tarde, com trovoada e chuva...

Para finalizar um dia em grande ( apesar da trovoada) jantei um belíssimo carpaccio e um, ainda melhor, bife tártaro, num restaurante francês pequenino, mas muito pitoresco. Nem parecia que estava na china....